setembro 06, 2019

CASO BEATRIZ: TJPE VOLTA ATRÁS E DECIDE CONCEDER HABEAS CORPUS A SUSPEITO DE APAGAR IMAGENS NO DIA DO CRIME


A família da menina Beatriz Angélica Mota, assassinada brutalmente há quase quatro anos numa festa de formatura do Colégio Maria Auxiliadora, em Petrolina, onde estudava, sofreu um duro golpe. Alguns blogs de notícias da região já divulgam a informação de que o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) concedeu habeas corpus a Alisson Henrique Cunha. Ex-funcionário terceirizado do colégio, ele é suspeito de ter apagado as imagens das câmeras de monitoramento na noite do crime, ocorrido em 10 de dezembro de 2015.
O advogado de Alisson, Wank Medrado, contou que seu cliente deverá retornar a sua residência a qualquer hora. O próprio TJPE tinha aceito o recurso do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) que pedia a prisão de Alisson, mas após a defesa do ex-funcionário do colégio recorrer, decidiu por conceder o habeas corpus.
Os pais de Beatriz, Lucinha Mota e Sandro Romilton, ainda não se manifestaram sobre a decisão do Judiciário pernambucano. (Fonte: Blog do Carlos Britto)