novembro 22, 2018

APÓS CRÍTICAS, GOVERNO DE PERNAMBUCO RECUA E NOVA REGRA EXIGIRÁ GASTO DE R$ 3 MIL PARA PAGAR 13º DO BOLSA FAMÍLIA


Em novo ajuste para tentar viabilizar o programa Nota Fiscal Solidária, que pretende dar um abono anual de até R$ 150 para os beneficiários do Bolsa Família em Pernambuco, o governo do Estado anunciou, na tarde desta quinta-feira (22), que vai mudar o percentual de cálculo do benefício. Na nova regra, os beneficiários precisarão gastar R$ 250 por mês com produtos da cesta básica em mercadinhos que emitam nota fiscal para receber o benefício de R$ 150 prometido na campanha pelo governador Paulo Câmara (PSB). Isso equivale a R$ 3 mil por ano.
A regra do programa, até então, previa que os beneficiários recebessem de volta 2,5% do consumo da cesta básica. Para isso, não poderia comprar em feiras ou em mercados que não pagassem impostos. Também é preciso lembrar de registrar corretamente o CPF cadastrado no Bolsa Família ao fazer a compra.
Novos itens
Em Pernambuco, existem 1,1 milhão de famílias cadastradas no Bolsa Família. O benefício médio mensal é de R$ 184,13. O JC ouviu mulheres que recebem o Bolsa Família e mostrou que a despesa média de R$ 500 mensais era uma conta difícil. Depois disso, o governo incluiu novos itens na cesta básica do programa. Mas a conta ainda exigia que as pessoas consumissem, por mês, dois botijões de gás, além de quatro tipos de queijo e cinco tipos de carne.
Paulo Veras do JC / Foto: EBC